Escada acessível: principais pontos no projeto e vantagens da adaptação

Acessibilidade 22/01/2020
Escada acessível: principais pontos no projeto e vantagens da adaptação

Ao adaptar espaços de acordo com as melhores práticas de acessibilidade, você contribui para uma sociedade mais inclusiva e justa. A escada acessível é um bom exemplo disso

Normalmente, quando pensamos em soluções de acessibilidade, lembramos de produtos em braile ou mesmo em pisos táteis, que estão presentes em diversos espaços públicos e privados. Porém, não podemos excluir deste cenário um item de grande importância e que garante muita autonomia a pessoas com deficiência em todo o mundo, a escada acessível. Este é o assunto do post de hoje, aqui no blog da Wat. Continue a leitura!

Projeto de escada acessível: conheça os principais pontos de atenção

1 – Começo de tudo

  • Conforto: a escada acessível deve proporcionar um percurso confortável, com mínimos riscos de acidente. Um bom passo inicial é pensar no melhor equilíbrio entre a altura do degrau e a largura do piso, por exemplo.
  • Largura: deve considerar o fluxo de pessoas, sendo o ideal em rotas acessíveis, de 1,20 metros, no mínimo.
  • Degraus: o primeiro e o último precisam ser construídos com 30 centímetros de distância em relação as áreas de circulação adjacentes.
  • Direção: sempre que houver a necessidade de mudança de direção (sempre que a escada mudar de direção), é preciso “subir” um patamar. O mesmo se o comprimento da escada for superior a 3,20 metros.

2 – Degraus com espelhos vazados

  • Evite sempre possível: escadas acessíveis em rotas acessíveis não devem contar com degraus com espelhos vazados, pois é o grande o risco de pessoas com deficiência prenderem os pés no percurso. A proibição está determinada na NBR 9050/2015.

3 – Corrimãos

  • Instalação: sempre ao lado da escada acessível e podem, ou não, serem acoplados ao guarda-corpo.
  • Seção circular: os corrimãos devem apresentar boa empunhadura e diâmetro que varie entre 30 e 45 mm. Preferencialmente, devem ser do modelo circular.
  • Altura: são duas medidas indicadas, entre 72 e 92 centímetros, contando a partir do piso.
  • Corrimãos laterais: devem ser contínuos nos patamares e sua prolongação deve ocorrer por até 30 centímetros, isso considerando o último degrau. É importante que não prejudiquem a área de circulação. Seu acabamento deve ser recurvado.
  • Corrimãos intermediários: devem ser utilizados em escadas acessíveis com largura superior a 2,40 metros.
  • Anel de corrimão tátil: é uma ótima solução de acessibilidade para garantir maior segurança e autonomia.

4 – Guarda-corpo

  • Sua instalação deve respeitar os parâmetros da NBR 9077/2001, e sempre em ambos os lados da escada acessível.
  • Altura mínima: 1,05 metros.
  • Desenho vazado: se for este o modelo do guarda-corpo, os espaços vazios devem ser obrigatoriamente dimensionados para que não permitam a passagem de uma esfera de 15 centímetros de diâmetro. Este é o padrão.

5 – Sinalização

  • Sinalização tátil: obrigatoriamente no primeiro e último degraus da escada acessível.
  • Fita fotoluminescente: também essencial para garantir mais segurança quando há pouca luz no ambiente.
  • Corrimãos: devem apresentar sinalização especial, como placa em braile.
  • Paredes: a sinalização instalada na parede deve informar visualmente e por tato que ali existe uma escada.

Escadas acessíveis? Fale hoje mesmo com a Wat!

Você sabe que pode confiar em quem trabalha há muitos anos com os mais variados produtos de acessibilidade. Por aqui, você conta com o que há de melhor em soluções de primeira linha para tornar as escadas acessíveis em seu espaço, seja ele público ou privado. E um grande diferencial que você só encontra aqui é o atendimento personalizado e especializado de profissionais que lidam diariamente com produtos desta categoria.

Fale hoje mesmo com o time comercial da Wat! Você irá se surpreender, desde o primeiro contato, com o nível de atendimento prestado.

(11) 94720-5606